19 julho 2012

Especialistas do IEEE identificam biocombustíveis derivados de alga como nova fonte alternativa de energia


Tecnologias baseadas em algas são identificadas como nova fonte para atender à demanda global por energia; Tão importante quanto descobrir  fontes alternativas é avançar em eficiência energética por meio das redes inteligentes, que, segundo o especialista do IEEE Cyro Boccuzzi , fomentam uma revolução no sistema energético, com grandes benefícios ambientais.



Julho de 2012 – Enquanto os turistas evitam pisar em algas nas praias, membros especialistas do IEEE - a maior associação técnico-profissional do mundo - identificaram esse simples organismo autotrófico como a mais promissora fonte sustentável capaz de atender à crescente demanda global por energia. Além disso, membros do IEEE também estão conduzindo avanços significativos em tecnologias mais consolidadas, incluindo energia eólica e redes inteligentes, para fornecer energia confiável e sustentável ao redor do mundo.

De acordo com o Departamento de Energia dos EUA, o uso global de energia irá crescer 53% até 2035. Essa projeção intensificou a demanda por inovação em energia sustentável, tanto de fontes convencionais como alternativas.

Algas como fonte alternativa
Os biocombustíveis derivados de alga constituem uma fonte alternativa e robusta de energia, oferecendo uma opção sustentável para a produção de petróleo, querosene de aviação e gases de aviação. O uso de algas é vantajoso devido à sua concentração extremamente elevada. “Um acre de milho pode ser usado para gerar 300 galões de etanol por ano, enquanto um acre de alga pode produzir de 6 a 10 mil galões de etanol por ano”, disse William Kassebaum, Membro Sênior do IEEE e CEO da Algaeon Inc.

Além da sua capacidade de produzir energia, as algas constituem uma densa fonte de proteínas que pode ser usada na produção de ração animal, de cosméticos e alimentos nutritivos. “Algas podem produzir proteínas 200 vezes mais densas que a soja”, acrescenta Kassebaum. “As numerosas aplicações inovadoras para algas já estão impactando nossas vidas, mas a alga para uso em biocombustíveis ainda é limitada, devido à disponibilidade de capital para expandir a indústria”.

A Força do Vento 
O custo é, frequentemente, um obstáculo importante para adoção generalizada da maioria das fontes renováveis. Entretanto, “o custo da energia oriunda de fontes eólicas onshore está diminuindo em relação à produção de combustíveis fósseis convencionais, tornando a energia eólica uma atraente fonte de energia sem queima de carbono”, disse Peter Tavner, Membro Sênior do IEEE sediado no Reino Unido e Presidente da Academia Europeia de Energia Eólica. “Assim, entre as fontes de energia existentes, a capacidade de geração da energia eólica é a mais substancial e comprovada”.

Nos últimos 10 anos, turbinas de vento individuais aumentaram sua capacidade de produção de 500 kW para mais de 5MW, sem que houvesse aumento significativo de custo. Essas unidades maiores estão possibilitando o desenvolvimento de fazendas eólicas em diversos locais ao redor do mundo, incluindo a região centro-oeste dos EUA, o nordeste e o noroeste da China, o alto-mar do noroeste europeu e o mar da China Oriental. Esses desenvolvimentos têm sido, frequentemente, limitados pelos altos custos de instalação e conexão com a rede principal de energia, o que tem sido compensado por economias de escala e pelo aumento da disponibilidade de recursos.

“A capacidade total instalada de geração de energia eólica é de 94 GW, que é suficiente para suprir 6,3 % de toda a demanda por eletricidade da União Europeia e representa 21,4% da capacidade instalada de novas fontes de energia”, completou Tavner.

Sendo inteligente em relação às redes inteligentes
O panorama de sistemas elétricos está mudando, com muitas soluções inspiradoras sendo desenvolvidas para enfrentar os desafios associados à disponibilidade de fontes de energia renováveis, demandas energéticas e metas de energia limpa. As redes inteligentes (smart grids), que incorporam tecnologias da informação e comunicação às soluções de sistemas de engenharia elétrica, estão fomentando uma revolução no modo como a energia é gerada, transmitida e consumida, com grandes benefícios ambientais.
A configuração da atual rede elétrica está evoluindo rapidamente, com mais ênfase sendo dada à flexibilidade do consumo. “Há uma tendência de se utilizar usinas de energia menores e mais localizadas, ao invés de usinas imensas e remotas”, disse Cyro Boccuzzi, Membro Sênior do IEEE e Vice-Presidente Executivo da concessionária brasileira de energia Enersul. “As redes inteligentes também permitem que diversas usinas menores de energia sejam instaladas próximas aos consumidores, favorecendo assim o imediato atendimento às suas demandas”.
Fontes de Energia Sustentáveis
Fontes adicionais de informação e conteúdo multimídia do IEEE sobre energias sustentáveis incluem:

Sobre IEEE
IEEE, maior organização técnico-profissional do mundo, dedica-se ao desenvolvimento da tecnologia para o benefício da humanidade. Por meio de suas publicações, usadas amplamente como referência, conferências, padrões tecnológicos, e atividades profissionais e educacionais, IEEE é uma fonte confiável em várias especialidades, desde sistemas aeroespaciais, computadores e telecomunicações a engenharia biomédica, energia elétrica e eletrônicos de consumo. Saiba mais em http://www.ieee.org


No IFPB contamos com o Único Ramo Estudantil do IEEE ativo no norte-nordeste (exceto Bahia), cuja missão é aproximar os estudantes do que há em matéria de referência na área de Engenharia Elétrica e afins.





Ana Paula Candil, por email.
SPMJ Comunicação

SILVER SPRING NETWORKS RECEBE O PRÊMIO AMERICAN TECHNOLOGY


Fundação Tech America reconhece a tecnologia inovadora de rede Gen4, a quarta geração da comprovada plataforma de rede IPv6 da Silver Spring

A Silver Spring Networks, um dos principais fornecedores de soluções e plataforma para rede inteligente, foi premiada recentemente com o American Technology Award 2012 por sua tecnologia de rede Gen4, considerado o mais recente avanço em rede inteligente.  A Silver Spring projetou a tecnologia Gen4 para fornecer uma plataforma para mais opções de comunicação, permitindo que as concessionárias cubram de forma eficiente seus territórios,  sejam áreas muito ou pouco habitadas, e sustentem múltiplas aplicações de redeinteligente em uma rede IPv6 integrada e  com gestão centralizada.

“Sentimo-nos honrados em sermos reconhecidos pela fundação TechAmerica por nossas contribuições para a liderança em tecnologia e inovação em prol dos clientes”, disse Scott Lang, Presidente e CEO da Silver Spring Networks. “Nossa quarta geração da tecnologia de rede agrega ainda mais valor aos nossos clientes à medida que  constroem a próxima geração de redes de energia mais inteligentes, eficientes e altamente confiáveis”.
“Nós parabenizamos a Silver Spring Networks por seu incrível trabalho e agradecemos por sua contribuição ao crescimento e à inovação de nossa vibrante indústria tecnológica”, disse Jennifer Kerber, Presidente da Fundação TechAmerica.

A tecnologia de rede Gen4 da Silver Spring destina-se a aumentar o desempenho e melhorar a flexibilidade necessária para atender aos exigentes requerimentos das concessionárias de energia em territórios com distintos serviços e distintas abordagens de implantação e necessidades de aplicação. A Gen4 fornece aos clientes opções de comunicação de rede móvel e de rede mesh, como a tecnologia Micromesh™, que combina os dois meios para uma melhor relação  custo-benefício da implantação e triplica o desempenho da rede. A gestão unificada da rede em todas as comunicações simplifica a implantação. Para mais informações, visite www.silverspringnet.com/gen4.

Os prêmios ATA – também conhecidos como “Termans”, em homenagem a Frederick Emmons Terman, amplamente reconhecido como o pai do Vale do Silício – são concedidos com base em uma avaliação minuciosa por especialistas da indústria e líderes em tecnologia. Os prêmios ATA abrangem a indústria tecnológica, reconhecendo serviços e produtos inovadores como Gen4.  Os vencedores foram anunciados, ontem à noite, no jantar de gala TechAmerica Technology and Government, em Washington, D.C.

Sobre a Fundação TechAmerica

A Fundação TechAmerica educa os executivos da indústria, formadores de políticas e líderes de opinião, com a promessa da inovação tecnológica contribuir para o avanço da prosperidade, da segurança e do bem estar geral. Lançada em 2009, a fundação  uma entidade sem fins lucrativos e sem afiliação política, com direitos à isenção de impostos – é afiliada da TechAmerica, a qual representa a principal voz e a maior fonte de recursos da indústria tecnológica dos Estados Unidos. A Fundação divulga pesquisas de mercado, políticas e indústria premiadas, abrangendo tópicos como a competitividade dos Estados Unidos na economia global, a inovação no governo, e outras áreas de interesse nacional. A Fundação também organiza conferências e seminários com representantes do governo e da indústria para explorar questões pertinentes e para compartilhar suas descobertas. Saiba mais sobre a Fundação TechAmeric emwww.techamericafoundation.org.

Sobre a Silver Spring Networks

A Silver Spring Networks é uma das principais empresas em tecnologia e soluções para rede inteligente. Conectamos mais de 11 milhões de domicílios, residenciais e comerciais, em todo o mundo, com a meta de alcançar maior eficiência energética para o planeta. Nossos produtos inovadores permitem que as concessionárias ganhem eficiência, integrem fontes renováveis de energia, e capacitem seus clientes a monitorar e gerenciar seu consumo de energia. Entre as concessionárias de energia, que são clientes da Silver Spring, incluem-se Baltimore Gas & Electric, CitiPower & Powercor, Commonwealth Edison Company, Florida Power & Light, Jemena Electricity Networks, Pacific Gas & Electric and Pepco Holdings, entre outras. Para mais informações, visite www.silverspringnet.com.



Ana Paula Candil, por email.
SPMJ Comunicação

29 setembro 2011

Estudantes do IFPB recebem prêmio nacional na área de Engenharia Elétrica

Estudantes do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB) vão concorrer a um prêmio internacional concedido pelo Instituto de Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos (IEEE) - Institute of Electrical and Electronics Engineers. O Ramo Estudantil IEEE do IFPB conseguiu conquistar a maior premiação do país, que é o título de Ramo Exemplar do Conselho Brasil. O prêmio foi concedido na IX Reunião Nacional de Ramos Estudantis do IEEE (RNR) realizada entre os dias 08 e 11 de setembro, em Juiz de Fora. O trabalho desenvolvido pelos estudantes do Bacharelado em Engenharia Elétrica do Campus João Pessoa do IFPB concorreu com o de Ramos com 20 anos de tradição. Com esse resultado, eles se credenciam a disputar o título de Ramo Exemplar da América Latina do IEEE, que será sediado na Argentina, em 2012.

Esse foi o segundo ano consecutivo em que o Ramo Estudantil IEEE do IFPB se destacou na RNR. Em 2010, os alunos do IFPB conquistaram o prêmio de Ramo Revelação, que é concedido aos ramos do país que tenham menos de dois anos de fundação e que se destacam em sua atuação junto ao IEEE.

Dentre as atividades realizadas pelo grupo de alunos do Ensino Superior do IFPB que ganharam destaque, estão os grupos de Robótica Educacional Livre, Estudos da Língua Inglesa e o Programa Mulheres na Engenharia (WIE). No IFPB, o Ramo Estudantil tem uma diretoria executiva de sete alunos, sob orientação do conselheiro, que é o professor Joabson Nogueira, diretor do Campus João Pessoa, e do mentor Alfredo Gomes, coordenador do curso de Engenharia Elétrica, ambos os professores são associados ao IEEE.

A Reunião Nacional de Ramos Estudantis do IEEE (RNR) é um dos eventos estudantis mais importantes do país nas áreas de Engenharia Elétrica, Eletrônica, Computação e afins. O Institute of Electrical and Electronics Engineers (IEEE) é a maior sociedade técnica profissional no mundo e uma associação dedicada ao avanço na inovação e a excelência tecnológica em benefício da humanidade. Também é responsável por mais de um terço de toda publicação mundial nas áreas de Engenharia Elétrica, Eletrônica, Computação e afins, por exemplo, os mais de 900 padrões ativos, como os que normatizam a comunicação via Wireless (Wi-Fi).

O IEEE está presente em mais de 160 países e possui mais de 400 mil membros, dos quais, mais de 25% são estudantes. Atualmente, são 333 seções distribuídas em 10 regiões geográficas do mundo. É uma entidade sem fins lucrativos e colabora no incremento da prosperidade técnico-científica mundial. Sediada nos EUA, a organização tem sua origem no ano de 1884, tendo como membros fundadores nomes como Thomas Edson e Alexander Graham Bell.

Logo do Ramo Estudantil IEEE do IFPB“Este prêmio é o reconhecimento do trabalho sério e dedicado de todos os voluntários e membros que compõe o Ramo Estudantil IFPB. Também consideramos como o fruto da dedicação do professores Joabson Nogueira e Alfredo Gomes, que apesar de suas muitas responsabilidades e seu tempo resumido, sempre nos auxiliam e orientam”, ressaltou o vice-presidente do Ramo IEEE do IFPB, Tiago Medeiros.

Para Albanisa Felipo, membro e ex-secretária do ramo, o prêmio reconhece o trabalho e a dedicação de um grupo que foi criado há apenas dois anos, e também reflete as ações empreendidas pelo curso de Engenharia Elétrica. “Para todos nós que fazemos o ramo é uma imensa honra, além de ser uma alegria enorme para o IFPB e para o nosso curso. Junto com essa conquista vem também a responsabilidade, pois somos oficialmente o representante do Brasil que vai concorrer no próximo ano, na Argentina, ao título de Ramo Exemplar da América Latina do IEEE”, destacou Albanisa Felipo. Atualmente a estudante do curso de Engenharia Elétrica é a representante do Programa Mulheres na Engenharia – WIE (Women in Engineering), da seção Bahia do IEEE.

*Daniela Espínola e Ana Carolina Abiahy - Jornalistas do IFPB